Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024
Home Economia e Negócios Cabo Delgado: Retorno gradual da segurança anima empresários

Cabo Delgado: Retorno gradual da segurança anima empresários

by José Nhambirre
0 comment

Fonte: DW

Mosambik Mocimboa da Praia Ortsschild

Empresariado de Cabo Delgado vê com otimismo o retorno gradual da segurança e a reabertura de vias de acesso às zonas afetadas pelo terrorismo, mas esperam ajuda do Governo para reconstruir infraestruturas destruídas.

O presidente do Conselho Empresarial de Cabo Delgado considera que a reconquista de Mocímboa da Praia e outras zonas anteriormente sob domínio de terroristas, e a reabertura de vias de acesso que se encontravam intransitáveis devido à insegurança, são sinais positivos para o relançamento da atividade económica nos distritos afetados pelo fenómeno.

De acordo com Mamudo Irache, alguns empresários já manifestam a vontade de regressar às origens com a finalidade de reerguerem o que sobrou após a vandalização do grupo armado que atua no norte moçambicano.

“É um grande ganho para o setor empresarial. Estamos a ver que, desde que se anunciou o trânsito Auasse-Macomia, há muita aproximação dos empresários da área afetada, como Mocímboa da Praia, Palma e Macomia, a consultar qual é a possibilidade de regressarem às suas zonas de trabalho. Mas, como o Governo já disse, temos de esperar um pouco para ouvirmos qual é a posição”, pondera.Volume 90%.

Dificuldades no regresso

Entretanto, Mamudo Irache antevê dificuldades para os empresários relançarem a sua atividade, uma vez que os empreendimentos e bens que possuíam foram atingidos nas incursões terroristas.

De acordo com Irache, o empresariado, ao retornar às suas zonas, estará fragilizado economicamente e encontrará as suas infraestruturas destruídas. “Como é que nós os empresários vamos lidar com esta situação?”, questiona.

No entanto, o Governo ainda não sabe quanto vai custar a reconstrução dos distritos assolados pelo terrorismo. Numa entrevista concedida recentemente à Rádio Estatal, o governador da província de Cabo Delgado, Valige Tauabo, afirmou que estão a decorrer neste momento trabalhos de levantamento e análise com vista a aferir-se se os distritos deverão construir novos edifícios ou então reaproveitar os atingidos pelos terroristas.

“Vai depender da equipa técnica o que vai nos orientar: se é para a edificação de novos edifícios públicos ou se é para a reabilitação, ou montarem-se instalações temporárias para acolher os serviços”, explicou àquela rádio o governador de Cabo Delgado.

Participação dos empresários

Os empresários pedem que, caso seja decidido pelo processo de reconstrução dos distritos devastados, o Governo priorize a participação das empresas locais.

O representante do Conselho Empresarial de Cabo Delgado sugere apoios do Governo para a classe empresarial alavancar os projetos paralisados por causa da insegurança. “O nosso sonho é que na reconstrução seja o empresariado local envolvido diretamente e a obter apoio financeiro”, afirma.

Com as estradas abertas, embora com algum condicionalismo, os operadores de transporte falam em melhorias na sua atividade com o incremento de passageiros que regressam às suas zonas de origem, abandonadas devido ao conflito.

Mário Joaquim, operador da rota Pemba-Macomia, comemora: “Estes dias estamos a agradecer porque quando saímos daqui [do terminal de transportes rodoviários de Pemba] não é como há muito tempo que nós estávamos a sentir medo. Aqueles militares dão-nos um pouco de moral e estamos a ver que ficamos seguros [na estrada]”.

You may also like

Leave a Comment

Para nós, a comunicação é dinâmica e assume diversas formas, por isso oferecemos um vasto leque de soluções que permitem obter a percepção sobre a marca e definir as melhores mensagens e formatos para impactar no mercado.

Blog

Press Releases

Todos os Direitos Reservados

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00